12.10.05

Cave

Image hosted by Photobucket.com
(foto: João Pedro Sousa)

Ah, cave escura e macabra
Já ansiavas pela minha presença
Já gritavas bem alto pelo meu nome
Pois aqui estou
Respondendo ao teu chamamento

Encerrei-me novamente
Nas tuas quatro frias paredes
Consigo ouvir a chuva a cair lá fora
É o céu que chora
Como eu não consigo verter lágrimas
O céu chora por nós
E por tudo aquilo que não fizemos

Hoje não tenho esperança
Hoje não sou nada

Não me fales
Não me toques
Qualquer movimento teu
Desequilibra o meu espírito
Deixa-me ficar no isolamento

Porque hoje não tenho esperança
Hoje não sou nada

3 Pensamentos:

Anonymous Anónimo pensou...

This thing on?
This thing on? Posted by Ross Mayfield About all I can offer is that Web 2.0 is made of people , while keeping this blog clean of commercialization.
Find out how to buy and sell anything, like things related to private road construction on interest free credit and pay back whenever you want! Exchange FREE ads on any topic, like private road construction!

1:22 da tarde  
Anonymous Anónimo pensou...

há movimentos que não quebram, não desequilibram. porque há certos gestos que te agarram, que te puxam.

procura embriagar de sonho o silêncio das coisas. procura embriagar de sonho as paredes de qualquer cave.

10:38 da tarde  
Anonymous Anónimo pensou...

esqueci-me de assinar.
(susana) *

10:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home